terça-feira, 4 de novembro de 2008

Conversa infantil, para Baré

- Pedro...
- Que foi?
- Ah nada. (...) Você tá tão mongol hoje.
- O que?
- Ah, nada.
- Tava pensando Manu... é que às vezes, te vejo olhando muito pra mim.
- Eu te olhando? Ah, Pedro... acho que quem olha aqui é você! E é você pra mim.
- É, tenho olhado bastante mesmo. Mas, você também. Então eu pensei que quando isso acontece, sei lá, isso de duas pessoas se olharem muito, deve ter um motivo, não deve?
- É deve. Você viu a professora hoje? Achei que ela não fosse liberar a gente! Tô morrendo de fome.
- Deve o que, Manu?
- Deve ser a Lei da Atração: VOCÊ me olha e por isso, eu te olho.
- É. (...) Manu...
- O que?
- É... (...). Também achei que a professora nem fosse liberar a gente hoje. Tava super cansado da aula já.
- Pois é. Mas, Pedro, qual motivo você acha?
- Não sei.
- Então tô certa. É a Lei.
- Mas tem que ter um motivo menina, pra essa Lei ai, de VOCÊ me olhar e me fazer te olhar.
- Menina? Nossa, que delicadeza de mongol!
- Ah Manu, tô falando de sentimento.
- (...)
- E sentimento pode ser bom e ruim. Antes de te conhecer já te via de olho em mim.
- Ih Pedro, não viaja.
- É, chega de viagem. E hoje, você vai na festa da sala?
- Vou sim! Você vai né? Vai ficar me olhando, mongolzinho?
- Agora que você vai, eu vou. Só pra ficar te olhando.
- Então tá bom! Até que você é engraçadinho!
- Manu... (...)
- Pedro... (...)
- Que horas são?
- Ah deve ser perto de uma hora. Estamos andando tem uns dez minutos no máximo.

...

2 comentários:

Elga Arantes disse...

Achei que no final eles fossem se beijar. Adoro finais felizes. Sou super convencional no querer...

Adoro Roberta Sá. Essa música é reflexiva, não?

Desculpe o vacilo em interpretar seu pai como ausente. Dããã!!! Manoteira...

Nader disse...

eu aqui imaginando a cena desses dois..muito legal a historia. Me lembrou alguem...tb acho q podia ter a continuação.
Boa Lu continue assim!
bjuss