sexta-feira, 26 de março de 2010

Um mandarim estava apaixonado por uma cortesã. "Serei sua", disse ela, "quando tiver passado cem noites a me esperar sentado num banquinho, no meu jardim, embaixo da minha janela". Mas na primeira noite a cortesã se levantou, pôs o banquinho embaixo do braço e sentou ao lado do madarim: esperariam juntos.

6 comentários:

Mr. Bean disse...

Caminheiros somos

Mr. Bean disse...

Caminheiro somos

Mami disse...

Afinidade
Não é sentir nem sentir contra...
Nem sentir para...
Nem sentir por...
Nem sentir pelo...
Afinidade é sentir com.

Leonardo disse...

por que esperar ? :P

Elga Arantes disse...

pra que esperar?

Liese disse...

Após tantos anos, finalmente me encontro na varanda da pequena casa na beira da praia, imagem de tantos sonhos, tantos planos. Recostada na rede, olho a vida lentamente como quem pinta um quadro. Inspiro o cheiro das cores preservando a imagem na mente como quem fotografa. O céu, com poucas e suaves pinceladas de névoa branca, envolve tudo com sua azul tranquilidade. A respiraçao das ondas suaves ecoa como sono de criança. A brisa tem cheiro de férias: no ar flutuam coqueiros, areia branca e mar. Meu corpo é preguiça gostosa e meus olhos, ah! é só sorriso d’alma.
Com carinho,